China quer implantar VLT em Osasco

Um consórcio chinês, liderado pela empresa China Machienary Corporation (CMC), está cotado para elaborar o projeto de implantação de uma linha de VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) em Osasco.

Uma possível parceria com consórcio foi tema de reunião entre o prefeito de Osasco, Jorge Lapas, o vice-presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), Marco Polo Moreira Leite, e o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Osasco (ACEO), André Menezes de Melo. A empresa estuda implantar uma unidade de fabricação de trens no Rio de Janeiro.

O projeto elaborado pela prefeitura de Osasco prevê 7 quilômetros de extensão do VLT na cidade, em trajeto desde o futuro terminal de ônibus urbano do Km 21, na divisa com Carapicuíba, até a rodovia Raposo Tavares. Ainda não há prazo previsto para sua viabilização.

Em março deste ano, Lapas levou a proposta do VLT ao presidente da EMTU (Empresa Metropolitana de Transporte Urbano), Joaquim Lopes, como forma de mostrar a importância da construção do terminal do Km 21, que está a cargo da empresa como parte da implantação do Corredor Metropolitano Itapevi-Butantã, e pedir agilidade em suas obras. A implantação do terminal deve começar este mês. Embora tenha licitação a cargo do Estado, o projeto do Km 21 conta com recursos do PAC Mobilidade, do governo federal.

Postagens mais visitadas deste blog

Manual para se entender um osasquense

O extremo potencial turístico de Osasco

E se a Zona Norte de Osasco virasse mesmo uma cidade?