Osasco, a cidade que mais avança em questões sociais

Nos últimos anos, a maior marca da Prefeitura de Osasco têm sido a reurbanização de favelas e entrega de conjuntos habitacionais para as famílias mais carentes e necessitadas da cidade.

Há muitos anos, essa tal "reurbanização" consistia em apenas asfaltar ruas, colocar calçada, luz e regularizar os locais, mantendo as moradias precárias e sem estrutura alguma. Ou o Governo do Estado de São Paulo retomava o terreno e construia CDHU. Muitos bairros periféricos da cidade, tanto na Zona Sul quanto na Zona Norte são resultados dessa medida que não ajuda a cidade em nada.


Felizmente, esse aspecto mudou. Desde 2004, o modelo de reurbanização de favelas e moradias populares na cidade mudou. Agora a tal reurbanização consiste em remover as famílias de áreas de risco, áreas precárias e irregulares e no local - as vezes em outros locais - construir pequenos edifícios em grande número. Assim aconteceu em locais como o bairro Portal D'Oeste, o ex-prefeito Emídio de Souza reurbanizou o bairro quase por inteiro, está irreconhecível.

Além do bairro Portal D'Oeste, Osasco está se transformando. São diversas moradias populares sendo construídas pela cidade, tanto nos extremos da Zona Sul, quanto na Zona Norte. Atualmente está sendo construído um condomínio popular que vai ajudar a retirar famílias de uma das maiores favelas de Osasco, a Favela Raios de Luz, no Jardim Veloso.


Ali no Jardim Veloso também existe a área conhecida como "BK", ou Cipava II, área que foi cedida pelo ex prefeito Francisco Rossi aos antigos moradores da Favela do "Buraco quente", onde hoje se localiza a UNFIESP, FITO e o Parque Municipal do Jardim das Flroes. Isso apenas ajudou a surgir uma nova área livre, que tem sido reurbanizada pela atual administração (Jorge Lapas).

Os projetos habitacionais citados são apenas alguns de muitos. Existe a reurbanização do Jardim Santa Rita, região da Avenida dos Bandeirantes, Piratininga e inúmeros projetos sociais que estão ou já foram tirados do papel.

Um dos maiores projetos sociais já visto em Osasco está sendo retirado do papel ainda esse ano (2015). A Operação Urbana do Rochdalle, com obras iniciadas no dia 1º de Agosto. As obras consistem em canalizar o Braço Morto do Rio Tietê, resolver o problema das enchentes no bairro em 80%, tratar mais 40% da rede de esgoto da Zona Norte da cidade e fazer uma via com corredor exclusivo de ônibus, além das moradias populares. Osasco avança, e só reconhece de verdade quem sente esses problemas na pele.

Todas as imagens disponibilizadas no artigo são da Prefeitura de Osasco.

Postagens mais visitadas deste blog

Manual para se entender um osasquense

O extremo potencial turístico de Osasco

E se a Zona Norte de Osasco virasse mesmo uma cidade?