O que é Direita e a Esquerda na política?

Nos últimos anos, em especial desde as Eleições de 2016, está havendo uma grande discussão entre quem se diz "de esquerda", ou "de direita". No Brasil, esses conceitos ainda são muito defasados, nem os partidos políticos sabem a qual lado da moeda pertencem. Logo, chega-se a conclusão de que ,no Brasil, não existe Esquerda e nem Direita, mas sim Partidos e Políticos sedentos por poder. 

Como muitos não sabem os verdadeiros conceitos dos dois lados da politicaneste artigo, de forma extremamente imparcial, vamos apresentá-los para vocês, leitores, tirem as suas próprias conclusões.

A Direita

Os termos "política de direita" e "política de esquerda" foram cunhados durante a Revolução Francesa (1789–1799), e referiam-se ao lugar onde políticos se sentavam no parlamento francês; os que estavam sentados à direita da cadeira do presidente parlamentar foram amplamente favoráveis ao Antigo Regime, ou seja, eram conservadores.

 A original Direita que surgiu na França, foi formada como uma reação contra a Esquerda e era composta por políticos que defendiam a hierarquia, a tradição e o clericalismo. A utilização da expressão le droite (a direita) tornou-se proeminente na França após a restauração da monarquia em 1815, quando a le droit foi aplicada para descrever a ultramonarquia. 

A Direita, pode ser dividida entre duas categorias: a Centro Direita, que propõe o Liberalismo econômico, seguido do Estado Mínimo na economia e na vida dos cidadãos. Já a Extrema Direita, se aproxima de Estados autoritários, ou seja, ditaduras, como houve na Alemanha Nazista, na Itália Fascista, e no próprio Brasil, em 1964, no Golpe Militar.

Os Partidos de Direita, historicamente, defenderam o conservadorismo, pautado nos Dogmas cristãos, o direito a propriedade privada, e atualmente, defendem o conceito de meritocracia, onde tudo o que tu tens, é conquistado com base na sua luta e na sua escalada em busca de ascensão, contanto que você tenha tido as mesmas oportunidades que o teu "oponente". Ou seja, muitos governos que se dizem "de direita", podem aderir e criar programas sociais que proporcionem as mesmas oportunidades para todos, como ocorreu diversas vezes nos Estados Unidos da América, fora de governos extremistas.

A Esquerda

Na visão Política, a esquerda descreve uma posição que apoia a igualdade social. Normalmente, envolve uma zeladoria com os cidadãos que são considerados em desvantagem em relação aos outros e uma suposição de que toda e qualquer desigualdade é injustificada e que devem ser reduzidas ou abolidas.

Para manter a sociedade igualitária, os Governos de Esquerda defendem a ampla intervenção na economia, de diversas formas. Seja com a aplicação de Leis Trabalhistas, tabelamento de preços como alimentos e utilitários, ou de um apoio financeiro fornecido pelo Governo à famílias de baixa renda, como ocorre no programa Bolsa Família, idealizado no Governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

A Esquerda, assim como a Direita, pode ser dividida entre duas categorias: a Centro Esquerda, que é a favor de um certo Liberalismo Econômico, com intervenções mínimas, apenas no âmbito social, o direito à propriedade privada, e a serviços públicos, tais como Saúde Pública e Educação Pública. Já a Extrema Esquerda, se aproxima de estados autoritários, como houve na antiga União Soviética, que viveu anos sob as mazelas do Stalingnismo, ou em Cuba, com a Ditadura da Família de Fidel Castro. Onde houve, e há, censura da mídia, e o fim da liberdade individual.

Os Partidos de Esquerda que não vão para o lado extremo, sempre lutaram por uma política com mais participação social e direitos civis, com o conceito de que o poder emana do povo, e é o governo que deve trabalhar para, e somente para a população. Defendendo que por meio de programas sociais, todos devem ter o direito a iguais oportunidades de ascensão, seja por meio da educação ou diversos meios de inclusão social.

Nazismo é de Direita, ou de Esquerda?

Alguns autores, como "Leftism, (From de Sade and Marx to Hitler and Marcuse") e Anthony James Gregor argumentam que o nacional-socialismo e o fascismo são de esquerda, baseando-se na política econômica centralmente planejada, característica de tais regimes. No entanto, diversos regimes tradicionalmente situados na direita política apresentaram economias planejadas ou fortemente estatizadas, como a atual economia da Arábia Saudita e algumas ditaduras na América do Sul. Os integralistas brasileiros (grupo que expressa valores evidentemente "direitistas") defendiam a economia planificada

A partir do século XX, o termo extrema-direita passou também a ser utilizado por alguns para o fascismo, bem como para grupos ultranacionalistas. Há um considerável consenso entre diversos historiadores, de que a extrema-direita se enquadra em Regimes ultranassionalistas como o de Hitler, na Alemanha, e de Mussolini, na Itália. Benito Mussolini, líder do fascismo italiano, declarava-se de direita. Alguns autores argumentam que os regimes totalitaristas do século XX eram de esquerda devido à economia planejada, característica de tais regimes, porém, este tipo de teoria não é bem aceita dentro do mundo acadêmico ao redor do mundo.

Postagens mais visitadas deste blog

Manual para se entender um osasquense

O extremo potencial turístico de Osasco

E se a Zona Norte de Osasco virasse mesmo uma cidade?