Osasco está seguindo o perigoso caminho da verticalização e gentrificação

Osasco
Desde meados de 2010 é comum que motoristas recebam folders divulgando novos lançamentos de condomínios residenciais ou empreendimentos empresariais nos semáforos de Osasco. Os empreendimentos realmente são lindos, e muitas vezes luxuosos, mas até que ponto essa verticalização é benéfica para a cidade?

Osasco possui 696 382 habitantes, segundo o senso do IBGE de 2016. Esse número com certeza vem aumentando devido ao  crescente lançamento de conjuntos residenciais, em especial nos bairros mais periféricos, como Padroeira e Jardim Conceição, e isso pode ser um sinal de que em poucos anos a qualidade de vida do osasquense pode piorar, tanto nos dados do IDH, quanto na prática do dia a dia da população.

A gentrificação também é muito perceptível no eixo centro-sul da cidade, boa parte da população está se dando conta de que diversas casas de médio/baixo padrão estão dando lugar à Condomínios verticais de alto padrão. Esse acontecimento torna o comércio local, impostos e estilo de vida em geral de determinado bairro mais caro, fazendo com que famílias de renda mais baixa migrem para as periferias da cidade,  inflando-as cada vez mais e fazendo com que essas pessoas percam a devida qualidade de vida e acessibilidade à serviços públicos.

OsascoSegundo dados da Folha de São Paulo, Osasco possuí apenas 3% de áreas verdes voltadas para o lazer, o que é pouquíssimo tendo em vista a extensão da cidade e a sua população, que além de grande, faz com que a densidade demográfica da cidade seja maior do que a de muitos bairros Paulistanos. 

O índice de desenvolvimento humano na cidade é 0,776 (considerado alto e um pouco acima da média do país, que é 0,754). Quando comparada com as cidades vizinhas Carapicuíba, Jandira e Itapevi, o índice não é ruim, mas se olharmos para a vizinha Barueri ( IDH: 0,786 - com pouco mais de 240 000 habitantes), vemos que Osasco está ficando para trás, o que é preocupante, pois temos a maior arrecadação da região, sendo a segunda maior do Estado (IBGE).

OsascoA vinda de novos lançamentos residenciais pode se tornar positiva a partir do momento em que a Prefeitura Municipal passe a investir em qualidade de vida; Criando parques, praças, áreas de lazer em geral, melhorando a arborização da cidade e investindo em infraestrutura, como calçadas e transporte público. Como todos os cidadãos sabem, isso não ocorre em Osasco. A cidade está largada à sorte e os novos edifícios super altos vão definir o futuro caótico dos bairros sem infraestrutura. Algo deve ser feito para que o progresso não seja nocivo ao dia a dia do cidadão já estabelecido em Osasco.




Postagens mais visitadas deste blog

Como Osasco deixou de ser um bairro de São Paulo e virou uma grande Cidade

Osasco foi o cenário do primeiro voo da América Latina